sábado, 28 de maio de 2016

Condenamos o Stalking e lutamos contra ele

Uma coisa muito comum com as celebridades estrangeiras acabou de acontecer recentemente no Brasil: a perseguição a celebridades. Sei que Hailee felizmente nunca foi vítima de um, mas por ser um site dedicado a uma celebridade que amamos, é bom falar sobre o assunto e deixar bem clara a nossa posição a respeito.

A modelo (de grife) e apresentadora de TV Ana Hickman foi vítima do assédio de um cara que se dizia seu fã mas que carregava uma arma, além de falar coisa meio desconexas, o que poderia ocultar suas verdadeiras intenções. O "fã" dava sinais de confusão mental e teve que ser morto, por legítima defesa, pelo cunhado da apresentadora. A defesa do cunhado rendeu polêmica, mas nós aqui entendemos que foi necessária, pois o "fã" estava confuso e colocou em risco a vida de todos que estavam no ambiente. Não somos fãs da Ana, mas como somos humanistas, ficamos chateados com o episódio. Ana Hickman não merecia passar por esse episódio repugnante.

O stalking, como é conhecido o ato de um fã perseguir um ídolo por acreditar que este faz parte da vida do primeiro, é algo que preocupa as celebridades. Muitos fãs não entendem que fã não é amigo, que a relação fã/ídolo é muito diferente de qualquer outro tipo de relação humana. O ídolo é um ser humano que tem direito a sua privacidade e a escolher quais pessoas farão parte de seu circulo social. Para o ídolo, fã são apenas admiradores distantes e isso faz parte de sua vida profissional e não de seu cotidiano particular.

Hailee , que é uma pessoa de personalidade simples (nao age como celebridade em seu cotidiano), até consegue transformar alguns fãs em amigos, como aconteceu após alguns encontros de fãs. Mas isso depende de contexto, das afinidades e o grau de respeito que o fã tiver com ela. É uma decisão exclusivamente da própria Hailee, que aos quase 20 anos tem as condições e responsabilidade total de decidir quem deve ou não fazer parte da vida dela, de morar em seu coração. 

Mas isso não significa que algum fã de Hailee fique obcecado por algum tipo de reação afetiva por parte dela, que tem o irrecusável e respeitável direito de ter a sua vida particular preservada, coisa que ela até consegue, do contrário que a maioria das celebridades.

Apesar de nossa equipe adorar a Hailee e de eu pessoalmente ser apaixonado por ela, entendo que essa paixão é apenas lúdica, pois tenho a absoluta consciência de que ela não faz parte da minha vida cotidiana. Ela tem a vida dela e eu a minha e a minha paixão consegue respeitar esta distância. Admiro e até me derreto por ela, mas nunca ao ponto de imaginar que essa paixão seja recíproca, pois ela não sabe que eu existo e se soubesse, certamente eu seria mais um na multidão. 

Até porque sabemos que ela é comprometida, tendo um namorado que ela não assume publicamente, justamente para preservar a intimidade entre ambos. Se ela não falou a respeito, é justamente com a intenção de manter os holofotes a distância enquanto ela não decide estabilizar o relacionamento. Provavelmente se o tal namorado (já apresentado ao pai dela, bom saber) for o escolhido para um relacionamento mais sério, ela com certeza avisará a mídia sobre ele, algo que, insistimos em dizer, merece respeito e distanciamento.

Hailee pode ficar sossegada que nenhum dos integrantes de nossa equipe tem a condição de cometer o stalking. Stalking é algo que reprovamos e lutamos para combater. Mesmo que Hailee seja o nosso tipo ideal de mulher, temos a ciência do distanciamento entre nós e ela e é de nosso interesse pessoal que a vida particular dela seja respeitada. Podemos utilizar Hailee como nosso parâmetro de mulher e tentar arrumar outras mulheres com as mesmas qualidades em nosso meio social, sem incomodar a própria, que seguirá tranquila em seu cotidiano nos EUA.

Reprovamos o Stalking e defendemos com toda a convicção de que a vida particular de Hailee deve ser preservada. Se pudermos evitar que algum outro fã a persiga de forma irresponsável, ela pode contar conosco. O bem estar de Hailee Steinfeld é a nossa meta e com a mais absoluta certeza sabemos que ela é a única pessoa com direito a dizer quem deve ou não ser amigo e participar de sua vida particular. 

Respeitemos as celebridades. Mesmo famosas, são pessoas como nós, que comem, dormem, vivem e tem o direito de escolher quem mereça o seu afeto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.